Mostra de Cinema Carem Abreu no Cine 104

O cinema de engajamento da cineasta mineira Carem Abreu vai ocupar a sala de cinema do centoequatro no dia 8 de agosto, a partir das 19 horas. Cineasta, documentarista, capoeirista, ativista cultural e professora de audiovisual, Carem vai apresentar uma parte de seu trabalho, e um dia de programação aberta e gratuita no Cine 104.

Com um trabalho pautado pelas temáticas sociais, a mostra visa contribuir com a valorização dos saberes populares ancestrais e amplificação da visibilidade dos movimentos sociais.

A programa trará uma coletânea de filmes que apresentam um panorama do trabalho da cineasta.

Mestra em Comunicação Social, com ênfase em Interações Midiáticas, pela PUC‐Minas (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais) e graduada em Jornalismo e Radialismo (RTVC) pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), em 2013, Carem foi representante de Minas Gerais na categoria Comunicação e Mobilização Social do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, do IPHAN. Já em 2015 recebeu o prêmio do Edital de Intercâmbio  do MINC para exibir seu filme Paz no mundo camará e ministrar curso de produção audiovisual em Dakar, Senegal (África).O intercâmbio resultou em registro cinematográfico e pesquisa preliminar de sua nova minissérie Conexão Brasil Senegal: a Cultura em nós, que está em fase de roteirização, desenvolvimento e captação de recursos.

Programação (Sinopses)

19h

Paz no mundo camará (Brasil, 2013, 54’)

SINOPSE: A capoeira angola é uma das mais tradicionais culturas de raiz. Hoje ela é praticada em todo o mundo como instrumento de paz e integração social. Mas há menos de 100 anos era discriminada e associada como uma prática de malandragem. Quais teriam sido os movimentos realizados pela capoeira angolana para mudar completamente a sua percepção social? Nesse documentário, mais de 40 mestres capoeiristas e das culturas populares da Bahia, Rio de Janeiro, Pernambuco e Minas Gerais ajudam a desvendar esse mistério.

Roda de Angola: Jogo da Vida  (1995, 12’)

SINOPSE: Monografia de conclusão de curso (Radialismo/UFMG) sobre a capoeira angola em Belo Horizonte.

20h30

É golpe! Choque, capitalismo do desastre e a implantação do Neoliberalismo no Brasil(2017, 10′)

SINOPSE: Se Você sente, impotência frente ao atual momento político, medo dessa realidade, falta de reação, você está sob ESTADO DE CHOQUE. Reaja!

Praia Da Estação (2010, 7’40”) – Vídeo Protesto | e Audiência

SINOPSE: Vídeo produzido para divulgação da terceira edição da “Praia da Estação”. Uma Festa-­‐Protesto contra o decreto nº 13.798 que proibiu, a partir de 1º de Janeiro de 2010, a realização de eventos de qualquer natureza na Praça da Estação.

O partido do evento – Manifestações 2013 (2013, 5’)

SINOPSE: Em junho de 2013, durante a Copa das Confederações, brasileiros de 130 cidades saíram às ruas para dar um recado aos políticos da nação. A forma como as ruas foram ocupadas foi interpretada como um evento. Que evento é esse?

Homens de fumaça (1997,10’)

SINOPSE: Vídeo institucional sobre a pesquisa do trabalho precário dos carvoeiros da região do Vale do Rio Doce, criado para o Grupo de Pesquisa em Sociologia do Trabalho, Departamento de Sociologia e Antropologia, UFMG.

Minas é demais ( 2001, 6’)

SINOPSE: A história e a cultura de pontos turísticos de MG: Morro Vermelho, Paracatu, Caraça,Ouro Preto e Parque das Mangabeiras.

Conexão Brasil Senegal (2016, 6’16”)

Prove um pouquinho da experiência de intercâmbio cultural realizado na África pela cineasta belo-horizontina, Carem Abreu. Entre 24 de novembro a 9 de dezembro de 2015 ela esteve na fazendo uma Conexão cultural entre o Brasil e o Senegal. O intercâmbio foi patrocinado pelo Ministério da Cultura, e consistiu na realização de uma Oficina de Capacitação Audiovisual e na exibição de seu filme “Paz no mundo camará: a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá”. [ Vídeo de contrapartida do PROJETO 214.324: CONEXÃO BRASIL ÁFRICA] Video gravado em telefone celular.

Mostra CineAfroBH: cultura e resistência (2014, 3’55”)

SINOPSE: Mostra itinerante de rua de filmes de realizadores afro brasileiros em homenagem aos mestres populares em suas comunidades de atuação cultural.

 

Texto: Cento e Quatro 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *